By malditoprof
#177078
Tenho estado renitente quanto a manifestar a minha opinião relativamente a todo este trabalho que com toda a boa vontade alguns elementos deste forum estão a desenvolver. O caso prende-se com a minha discordância genética em ser colaboracionista com situações de que discordo.
Para mim, a solução única e o desfecho de todo este processo, é única e simplissima:
Onde é permitido voar pode-se gravar, e onde não é permitido voar não se pode gravar! PONTO!
Claro que há subtilezas e outras autorizações, mas essas não decorrem do preenchimento de formulários nem da autorização de organismos públicos ou autoridades do que quer que seja. Tudo tem a ver com as autorizações de proprietários e com o direito á privacidade.
"entia non sunt multiplicanda praeter necessitatem"
Sabemos que os condenados á morte na antiga Roma eram obrigados a construir a sua própria cruz!
Em Portugal usamos por vezes o velho ditado popular de "arranjou lenha para se queimar"
Olhemos para as coisas tal como elas são; É proibido VOAR sobre pessoas, prisões, estabelecimentos militares, orgãos de soberania, etc.etc. Se não se voa, não há fotos nem filmes. Depois existem zonas restritas, zonas reservadas e outras para as quais é necessário autorização para voar. Tudo bem! PONTO!
Então e ESTA É A VERDADEIRA QUESTÃO.
Quais as razões que determinam a autorização da AAN para a realização de fotos?
Alguma razão lógica?
A mim só me ocorrem duas razões e nenhuma delas HONESTA:
---- Futura cobrança de taxas.
---- Concessão de serviços de foto e filmagem a certas empresas.
Gostaria que me informassem de outras que vos possam ter ocorrido!
A razoura de Occam diz-me ser esta a explicação mais simples e mais adequada.
Consequentemente e perdoem-me se estiver errado, alguém anda a trabalhar para ser espoliado desse trabalho mais tarde!
Como diz o ditado popular: "Quem mais trabalha mais trabalhado fica"
Pelos vistos , uma vez que já não estamos no 3º mundo, resta-me concluir que devemos estar no segundo mundo... e meio!
Por essa razão o meu conselho relativamente a este tipo de entidades tem sido sempre: KISS!
By zulufriend
#177080
malditoprof Escreveu:Tenho estado renitente quanto a manifestar a minha opinião relativamente a todo este trabalho que com toda a boa vontade alguns elementos deste forum estão a desenvolver. O caso prende-se com a minha discordância genética em ser colaboracionista com situações de que discordo.
Para mim, a solução única e o desfecho de todo este processo, é única e simplissima:
Onde é permitido voar pode-se gravar, e onde não é permitido voar não se pode gravar! PONTO!
Claro que há subtilezas e outras autorizações, mas essas não decorrem do preenchimento de formulários nem da autorização de organismos públicos ou autoridades do que quer que seja. Tudo tem a ver com as autorizações de proprietários e com o direito á privacidade.
"entia non sunt multiplicanda praeter necessitatem"
Sabemos que os condenados á morte na antiga Roma eram obrigados a construir a sua própria cruz!
Em Portugal usamos por vezes o velho ditado popular de "arranjou lenha para se queimar"
Olhemos para as coisas tal como elas são; É proibido VOAR sobre pessoas, prisões, estabelecimentos militares, orgãos de soberania, etc.etc. Se não se voa, não há fotos nem filmes. Depois existem zonas restritas, zonas reservadas e outras para as quais é necessário autorização para voar. Tudo bem! PONTO!
Então e ESTA É A VERDADEIRA QUESTÃO.
Quais as razões que determinam a autorização da AAN para a realização de fotos?
Alguma razão lógica?
A mim só me ocorrem duas razões e nenhuma delas HONESTA:
---- Futura cobrança de taxas.
---- Concessão de serviços de foto e filmagem a certas empresas.
Gostaria que me informassem de outras que vos possam ter ocorrido!
A razoura de Occam diz-me ser esta a explicação mais simples e mais adequada.
Consequentemente e perdoem-me se estiver errado, alguém anda a trabalhar para ser espoliado desse trabalho mais tarde!
Como diz o ditado popular: "Quem mais trabalha mais trabalhado fica"
Pelos vistos , uma vez que já não estamos no 3º mundo, resta-me concluir que devemos estar no segundo mundo... e meio!
Por essa razão o meu conselho relativamente a este tipo de entidades tem sido sempre: KISS!

Eu não creio que a continuada necessidade de obter autorização da AAN para captar imagens aéreas, decorra apenas da vontade de futuramente cobrar taxas ou da futura concessão de serviços de foto e filmagem a empresas. A lei existe desde 1958 portanto eles estão simplesmente a cumprir a lei, não a inventaram agora apenas para os RPA's. Como referi anteriormente a AAN até tem sido bastante compreensiva com este tema das autorizações. Concede as autorizações, não cobra pelo serviço, concede autorizações de até 60 dias, não levam muito tempo a responder, etc. É simplesmente uma questão de reformular a lei para a adequar à realidade tecnológica actual, sem ferir as competências da AAN, mas isso ainda vai demorar bastante tempo a acontecer. Possivelmente existem também outras razões de ordem estratégica ligadas à defesa nacional que os civis não compreendem, mas isso é algo que nos ultrapassa.
By malditoprof
#177085
Discordo. Tal não se verifica noutros países da europa já "regulamentados" e com actividades e espaços de natureza militar muitissimo superiores aos nossos. Analise e responda-me se for capaz:
A mesma legislaçao de 1958 PROIBE EXPRESSAMENTE que passageiros de linha aérea tirem fotografias ou filmem a partir da aeronave que os transporta. Mais do que isso , a mesma legislação determina que sendo violadas estas disposições a responsabilidade e consequências de tal violação cabe inteiramente AO COMANDANTE! Agora pergunto : Já ouviu falar de algum processo levantado aos comandantes de todas as companhias aéreas cujos passageiros filmam tudo e mais umas botas desde descolagens, paisagens, aterragens etc. no espaço aéreo nacional eque depois publicam no Youtube ou a lei de 1958 só se aplica a alguns" mexilhões"? E já não falo dos paraquedas, dos balões e dos parapentistas que ostentam todos uma Gopro nos seus luzentes capacetes!
Evidentemente que a lei existe desde 1958 e aí reside a questão: Desde 1975 ou pouco depois, até ao aparecimento e divulgação dos drones, a lei existia mas não era aplicada! Ou seja: Nunca qualquer aeromodelista, nem piloto UL ou paraquedista foi importunado por tal lei! Evidentemente que o desporto de voo era mais restrito por ser caro e que as pequenas cameras eram também muito caras .
Aparentemente, a lei foi redescoberta com a acessibilidade de tais máquinas e cameras ao grande público.
Não foi á toa que repentinamente a imprensa e os média saltaram dobre os drones.
Recorde que inicialmente falava-se apenas das potencialidades dos drones relativamente á violação de privacidade. Como isso não pegou, apareceram os" milhares" de incidentes em aeroportos e aviões!
Agora, parece que toda a gente ficou educadinha! Nunca mais se ouviu falar de drones invisiveis, ou não encontrados ou outras estranhas coisas voadoras a altissima velocidade, provavelmente ufo`s !
Vejamos a verdade nua e crua:
Até há poucos anos todos os trabalhos de fotografia e filmagem aérea assim como muita da cartografia entre outras actividades eram desempenhados pelas empresas ligadas á aeronautica e ás várias companhias aéreas de helicopteros e aviões.
Há alguns anos o Google Earth veio estragar muita coisa já que os municipios e o Ministério da Agricultura entre outros eram bons clientes de empresas ligadas á foto e ao levantamento aéreo. Chegou-se ao ponto de tentar ilegalizar o Google earth em Portugal. Aliás durante algum tempo muitos municipios recusavam qualquer mapa obtido através do Google earth. O mesmo acontecia com os mapas (ortofotomapas) do Ministério da agricultura e com as fotos aéreas que eram carissimas!
O aparecimento dos multirotores capazes de transportar uma camera fotográfica de alta definição veio dar uma machadada fatal neste negócio! A partir de determinada altura qualquer "borrabotas de meia tigela " poderia gastar umas centenas de euros num drone e fazer as fotos todas que pretendesse!
Por mais que tente, não me sai da cabeça que o tão propalado "negócio dos incêndios" que atingiu o seu climax este ano, possa de alguma forma ter "relações perigosas" com toda esta problemática!
Quanto á AAN, evidentemente que cumpre ordens! (há sempre alguém acima de quem está por cima)
VADER liked this
By zulufriend
#177112
malditoprof Escreveu:Discordo. Tal não se verifica noutros países da europa já "regulamentados" e com actividades e espaços de natureza militar muitissimo superiores aos nossos. Analise e responda-me se for capaz:
A mesma legislaçao de 1958 PROIBE EXPRESSAMENTE que passageiros de linha aérea tirem fotografias ou filmem a partir da aeronave que os transporta. Mais do que isso , a mesma legislação determina que sendo violadas estas disposições a responsabilidade e consequências de tal violação cabe inteiramente AO COMANDANTE! Agora pergunto : Já ouviu falar de algum processo levantado aos comandantes de todas as companhias aéreas cujos passageiros filmam tudo e mais umas botas desde descolagens, paisagens, aterragens etc. no espaço aéreo nacional eque depois publicam no Youtube ou a lei de 1958 só se aplica a alguns" mexilhões"? E já não falo dos paraquedas, dos balões e dos parapentistas que ostentam todos uma Gopro nos seus luzentes capacetes!
Evidentemente que a lei existe desde 1958 e aí reside a questão: Desde 1975 ou pouco depois, até ao aparecimento e divulgação dos drones, a lei existia mas não era aplicada! Ou seja: Nunca qualquer aeromodelista, nem piloto UL ou paraquedista foi importunado por tal lei! Evidentemente que o desporto de voo era mais restrito por ser caro e que as pequenas cameras eram também muito caras .
Aparentemente, a lei foi redescoberta com a acessibilidade de tais máquinas e cameras ao grande público.
Não foi á toa que repentinamente a imprensa e os média saltaram dobre os drones.
Recorde que inicialmente falava-se apenas das potencialidades dos drones relativamente á violação de privacidade. Como isso não pegou, apareceram os" milhares" de incidentes em aeroportos e aviões!
Agora, parece que toda a gente ficou educadinha! Nunca mais se ouviu falar de drones invisiveis, ou não encontrados ou outras estranhas coisas voadoras a altissima velocidade, provavelmente ufo`s !
Vejamos a verdade nua e crua:
Até há poucos anos todos os trabalhos de fotografia e filmagem aérea assim como muita da cartografia entre outras actividades eram desempenhados pelas empresas ligadas á aeronautica e ás várias companhias aéreas de helicopteros e aviões.
Há alguns anos o Google Earth veio estragar muita coisa já que os municipios e o Ministério da Agricultura entre outros eram bons clientes de empresas ligadas á foto e ao levantamento aéreo. Chegou-se ao ponto de tentar ilegalizar o Google earth em Portugal. Aliás durante algum tempo muitos municipios recusavam qualquer mapa obtido através do Google earth. O mesmo acontecia com os mapas (ortofotomapas) do Ministério da agricultura e com as fotos aéreas que eram carissimas!
O aparecimento dos multirotores capazes de transportar uma camera fotográfica de alta definição veio dar uma machadada fatal neste negócio! A partir de determinada altura qualquer "borrabotas de meia tigela " poderia gastar umas centenas de euros num drone e fazer as fotos todas que pretendesse!
Por mais que tente, não me sai da cabeça que o tão propalado "negócio dos incêndios" que atingiu o seu climax este ano, possa de alguma forma ter "relações perigosas" com toda esta problemática!
Quanto á AAN, evidentemente que cumpre ordens! (há sempre alguém acima de quem está por cima)

Creio que iríamos cair na mesma discussão que tivemos no outro tópico acerca da petição.
Penso que é tudo apenas uma reacção à nova realidade por parte das autoridades. as fotos tiradas pelos passageiros dos aviões comerciais passam despercebidas e ninguém pensa nelas pois já adquiriram o estatuto de normalidade e seria impossível proibir e contra-ordenar todas essas situações. No caso dos RPA's é diferente: ainda há poucos, as pessoas vêm os RPA's no ar, etc. Daqui a uns anos, se a situação continuar a evoluir da mesma forma que tem vindo a evoluir, os RPA's passarão a ser uma normalidade também e eventualmente a lei será alterada, por enquanto é difícil às autoridades adaptarem-se a esta nova realidade. Como está a ser difícil adaptarem-se às redes sociais, etc, etc. Também existe um esforço para regular as captações de imagens aéreas em termos comerciais, ou seja, eles querem enquadrar esta actividade nos mesmos moldes que até agora faziam para as imagens captadas em aeronaves tripuladas (e não me estou a referir aos voos comerciais de transporte de passageiros, mas sim aos voos para agricultura, mapeamento, etc.). O problema com que se deparam é a existência de muitos operadores amadores que captam as imagens para fins não comerciais. Em termos de fiscalização é muito difícil determinar à posteriori a utilização das imagens, por isso, há que tentar controlar antecipadamente, daí a não diferenciação entre operadores amadores e operadores profissionais ou empresariais. Caso fosse liberada a actividade para os operadores amadores, muitos operadores profissionais passariam a operar como amadores, captando imagens que posteriormente seriam processadas em termos comerciais.
Em termos de defesa do território, cada país tem a sua maneira de encarar o problema. Provavelmente existem razões que não podem ser divulgadas por questões de segurança e que obrigam a que estas autorizações por parte da AAN continuem a ser necessárias. A AAN também não pode divulgar essas razões pois no seu entender iriam colocar em risco a defesa do território. É algo que nunca iremos saber.
By malditoprof
#177132
Caro Zulufriend: Concordo com a sua explicação e também com as suas previsões futuras. Discordo porém com a questão de principio. Existe uma violação flagrante do principio da igualdade. É tão ilegal um passageiro de linha aérea fazer qualquer tipo de foto ou filmagem sem autorização quanto qualquer parapentista ou "dronista" ou aeromodelista!
Somos todos iguais em termos juridicos e é a única coisa que conta num tribunal. Aliás essa situação encontra-se em estudo e provavelmente será em breve colocada na PGR. O que o meu caro está a dizer é que essas violações da lei "passam despercebidas e ninguém pensa nelas pois já adquiriram o estatuto de normalidade e seria impossível proibir e contra-ordenar todas essas situações." Estou a citá-lo.
De facto podem "passar despercebidas do grande público pois todos têm um telemovel ou um smartfone com capacidade fotográfica, mas em caso algum podem passar despercebidas á autoridade competente! Neste caso, ou a autoridade competente actua e instaura os devidos processos, ou não o fazendo, assume um procedimento discriminatório e sujeita-se por sua vez a ser processada! Não pode é alegar ignorância das disposições legais que aplica a outros!
Quanto á utilização da fotografia aérea para fins profissionais, o assunto é muito acinzentado.
Por um lado, nenhuma camera amadora nem um simples drone usado para lazer, tem as capacidades técnicas exigiveis aos trabalhos de planimetria e outros de caracter técnico. Quanto ás fotografias de casórios, festas e outros acontecimentos, estão no mesmo nivel legal das fotos tiradas por fotografos profissionais "terrestres", "maritimos" ou outros "que vivem" na economia paralela. Veja-se que até as TVs, pagam a qualquer um, filmes e fotos que lhes interessem! Que façam depois um acto único nas finanças!
By zulufriend
#177142
malditoprof Escreveu:Caro Zulufriend: Concordo com a sua explicação e também com as suas previsões futuras. Discordo porém com a questão de principio. Existe uma violação flagrante do principio da igualdade. É tão ilegal um passageiro de linha aérea fazer qualquer tipo de foto ou filmagem sem autorização quanto qualquer parapentista ou "dronista" ou aeromodelista!
Somos todos iguais em termos juridicos e é a única coisa que conta num tribunal. Aliás essa situação encontra-se em estudo e provavelmente será em breve colocada na PGR. O que o meu caro está a dizer é que essas violações da lei "passam despercebidas e ninguém pensa nelas pois já adquiriram o estatuto de normalidade e seria impossível proibir e contra-ordenar todas essas situações." Estou a citá-lo.
De facto podem "passar despercebidas do grande público pois todos têm um telemovel ou um smartfone com capacidade fotográfica, mas em caso algum podem passar despercebidas á autoridade competente! Neste caso, ou a autoridade competente actua e instaura os devidos processos, ou não o fazendo, assume um procedimento discriminatório e sujeita-se por sua vez a ser processada! Não pode é alegar ignorância das disposições legais que aplica a outros!
Quanto á utilização da fotografia aérea para fins profissionais, o assunto é muito acinzentado.
Por um lado, nenhuma camera amadora nem um simples drone usado para lazer, tem as capacidades técnicas exigiveis aos trabalhos de planimetria e outros de caracter técnico. Quanto ás fotografias de casórios, festas e outros acontecimentos, estão no mesmo nivel legal das fotos tiradas por fotografos profissionais "terrestres", "maritimos" ou outros "que vivem" na economia paralela. Veja-se que até as TVs, pagam a qualquer um, filmes e fotos que lhes interessem! Que façam depois um acto único nas finanças!

Sim eu compreendo. Eu também fico triste quando vejo os videos dos estrangeiros no Youtube, etc que não precisam de autorização para fotografar e filmar, mas é a lei que temos e temos de nos tentar adaptar a ela. Isto ao fim e ao cabo resulta tudo do regulamento. Caso o regulamento não fosse referido que era preciso a autorização para fotografar e filmar por parte da AAN, não estávamos a ter esta discussão e provavelmente a AAN também não ia ligar muito a este assunto. No entanto se o regulamento não referisse esta necessidade estaria a ser omisso e injusto para com a AAN bem como para os profissionais que fazem trabalhos de captura de imagens aéreas quer com aeronaves não tripuladas ou com aeronaves tripuladas.
Uma coisa por exemplo é um turista tirar uma foto a partir de um avião com o telemóvel ou com uma máquina fotográfica. Ele está restrito à rota do avião, fotografa através do vidro, etc, outra coisa são as fotos tiradas por RPAS equipados com boas câmeras fotográficas e videográficas. É possível que fechem os olhos para os primeiros e os abram para os segundos face à diferença em termos de qualidade, método etc que existem. Também, como referi, existe uma impossibilidade de fiscalizar os primeiros enquanto que os segundos, por agora, ainda vai sendo possível implementar uma fiscalização.
By malditoprof
#177143
Permita-me discordar uma vez mais. Qualquer foto destinada a "consumo privado" seja tirada do ar do mar ou de terra não tem que ter autorização de ninguém. A guerra anti-drone que existe agora, parte não só das entidades oficiais mas também em grande parte dos interesses económicos envolvidos (empresas e privados com aspirações a profissionais). E de forma absolutamente inútil! Aliás uma das "subtilezas" semi-escondidas no projecto de lei da Anac era nos seus pressupostos iniciais a menção a legislação da WWII com o objectivo de impedir estrangeiros de poderem fazer foto e filmagem aérea em Portugal! Desenganem-se! Não vão poder impedir, nem nenhuma empresa nacional terá condições de competir com boa parte dos países da UE! E mais, essas entidades estrangeiras assumirão a maior fatia de todo o trabalho técnico! Estou pessoalmente ligado a uma universidade com cursos de aeronáutica. Até há poucos anos, uma das "saídas" de muitos alunos já formados era previsivelmente a crição de empresas na áea fotográfica e afins. Ora, os Chineses deitaram tudo isso por água abaixo, com a rápida evolução tecnológica e com a acessibilidade dos preços. Muitas das nossoas melhores cabeças estão a ser contratadas para fora. Vai sobrar cá o mercado dos casamentos e batizados! Na minha sincera opinião no "mundo dos drones" há quem pretenda assumir uma espécie de monopólio, dificultando aos outros o acesso ao voo e á fotografia de mero hobbie por razões meramente económicas. Tal grupo com aspirações pseudo - profissionais, pretende evitar até que os youtubers possam filmar e publicar as suas habilidades paisagisticas! Desenganem-se! Isso não irá funcionar. Por exemplo, a Alemanha entregou todos os exames necessários á licença de pilotagem de drones e aeromodelos até 25kg acima dos 100 metros FORA DOS ESPAÇOS DE AEROCLUBES, ás suas entidades desportivas. Tenho o meu exame junto com a Sarah e o Karl, já na lista de tarefas para breve. O exame custa cerca de 26 euros)
Resultado: Iremos ter em Portugal "turistas" europeus devidamente licenciados, com seguros baratuchos e máquinas registadas gratuitamente no país de origem, a fazer fotos e o que mais lhes apetecer, e os de cá do burgo continuarão a degladiar-se entre si até que a EASA através de alguma directiva ponha termo a este autêntico non sense.
Quanto á fiscalização, não conta para quase nada! Não vale a pena estar a enganar ninguém pois as entidades policiais quase só podem funcionar em espaços públicos. Especificamente no caso dos drones mais aptos a fazer fotos, mesmo DIY, podem cumprir qualquer "mission plan" sair de casa ou da propriedade seja dia ou noite, ir dar uma volta de 5 ou 10 km, e regressar calmamente á varanda do piloto. Não pode ser fiscalizado e se quiser eu explico porquê. Claro que agora falam da possibilidade de fiscalização electrónica e de outros dispositivos de detecção, mas por enquanto é SCY FY! E quando tal estiver disponivel de forma praticável será apenas aplicado nas "zonas criticas"; Meios urbanos mais importantes e aeroportos! Aliás se ouvir os videos de esclarecimento da EASA, eles abordam precisamente a Impossibilidade de fiscalização.
Por outro lado, é falacioso o argumento de alguém poder usar fotos de hobie em trabalho. Ora como em qualquer outra actividade económica, tudo isso se encontra regulamentado e fiscalizado! Existe a ASAE, a AT etc. Se alguém desenvolve uma actividade económica ilegalmente merece ser denunciado e punido.
Como tal não há razão de qualquer tipo no proteccionismo nem injustiça relativamente ás actividades aéreas
comerciais/profissionais.
Última edição por malditoprof em 15 nov 2017, 09:17, editado 2 vezes no total.
jmjc, Jet Lag liked this

Lá estarei com a minha máquina O que achaste, G[…]

ja tenho os papeis para voar na reta de cabanelas[…]

manda-me pf o teu email por PM. O codigo está no b[…]

Failsafe não funciona

Coloquei exactamente como está no vídeo Enviado […]